wisdom


You have been telling the people that this is the Eleventh Hour…
Now you must go back and tell the people that this is The Hour.
Here are the things that must be considered:
Where are you living?
What are you doing?
What are your relationships?
Are you in right relation?
Where is your water?
Know our garden.
It is time to speak your Truth.
Create your community.
Be good to each other.
And do not look outside yourself for the leader.

This could be a good time!

There is a river flowing now very fast.
It is so great and swift that there are those who will be afraid.
They will try to hold on to the shore..
They will feel like they are being torn apart, and they will suffer greatly.

Know the river has its destination.

The elders say we must let go of the shore, push off toward the middle of
the river, keep our eyes open, and our heads above the water.

See who is there with you and celebrate.

At this time in history, we are to take nothing personally, least of all
ourselves ! For the moment we do, our spiritual growth and journey comes to a halt.

The time of the lonely wolf is over.
Gather yourselves!

Banish the word struggle from your attitude and vocabulary.

All that we do now must be done in a sacred manner and in celebration.

We are the ones we have been waiting for

The Elders
Oraibi, Arizona
Hopi Nation

“Olá! Eu sou Severn Suzuki. Represento, aqui na ECO, a Organização das Crianças em Defesa do Meio Ambiente. Somos um grupo de crianças canadenses, de 12 e 13 anos, tentando fazer a nossa parte, contribuir. Vanessa Sultie, Morgan Geisler, Michelle Quigg e eu. Foi através de muito empenho e dedicação que conseguimos o dinheiro necessário para virmos de tão longe, para dizer a vocês, adultos, que têm que mudar o seu modo de agir.

Ao vir aqui, hoje, não preciso disfarçar meu objetivo: estou lutando pelo meu futuro. Não ter garantia quanto ao meu futuro não é o mesmo que perder uma eleição ou alguns pontos na bolsa de valores. Estou aqui para falar em nome das gerações que estão por vir. Estou aqui para defender as crianças que passam fome pelo mundo e cujos apelos não são ouvidos. Estou aqui para falar em nome das incontáveis espécies de animais que estão morrendo em todo o planeta, porque já não têm mais aonde ir. Não podemos mais permanecer ignorados!

Eu tenho medo de tomar sol, por causa dos buracos na camada de ozônio. Eu tenho medo de respirar este ar, porque não sei que substâncias químicas o estão contaminando. Eu costumava pescar em Vancouver, com meu pai, até que, recentemente, pescamos um peixe com câncer. E, agora, temos o conhecimento que animais e plantas estão sendo destruídos e extintos dia após dia.

Eu sempre sonhei em ver grandes manadas de animais selvagens, selvas e florestas tropicais repletas de pássaros e borboletas. E, hoje, eu me pergunto se meus filhos vão poder ver tudo isso. Vocês se preocupavam com essas coisas quando tinham a minha idade?

Tudo isso acontece bem diante dos nossos olhos e, mesmo assim, continuamos agindo como se tivéssemos todo o tempo do mundo e todas as soluções. Sou apenas uma criança e não tenho todas as soluções; mas, quero que saibam que vocês também não as têm.

Vocês não sabem como reparar os buracos na camada de ozônio. Vocês não sabem como salvar os peixes das águas poluídas. Vocês não podem ressuscitar os animais extintos. E vocês não podem recuperar as florestas que um dia existiram onde hoje há desertos. Se vocês não podem recuperar nada disso, por favor, parem de destruir!

Aqui, vocês são os representantes de seus governos, homens de negócios, administradores, jornalistas ou políticos; mas, na verdade, vocês são mães e pais, irmãs e irmãos, tias e tios. E todos, também, são filhos.

Sou apenas uma criança, mas sei que todos nós pertencemos a uma sólida família de 5 bilhões de pessoas; e que, ao todo, somos 30 milhões de espécies compartilhando o mesmo ar, a mesma água e o mesmo solo. Nenhum governo, nenhuma fronteira poderá mudar esta realidade.

Sou apenas uma criança, mas sei que esses problemas atingem a todos nós e deveríamos agir como se fôssemos um único mundo rumo a um único objetivo. Estou com raiva, não estou cega e não tenho medo de dizer ao mundo como me sinto.

No meu país, geramos tanto desperdício! Compramos e jogamos fora, compramos e jogamos fora, compramos e jogamos fora… E nós, países do Norte, não compartilhamos com os que precisam. Mesmo quando temos mais do que o suficiente, temos medo de perder nossas riquezas, medo de compartilhá-las. No Canadá, temos uma vida privilegiada, com fartura de alimentos, água e moradia. Temos relógios, bicicletas, computadores e aparelhos de TV.

Há dois dias, aqui no Brasil, ficamos chocados quando estivemos com crianças que moram nas ruas. Ouçam o que uma delas nos contou: “Eu gostaria de ser rica; e, se o fosse, daria a todas as crianças de rua alimentos, roupas, remédios, moradia, amor e carinho”. Se uma criança de rua, que nada tem, ainda deseja compartilhar, por que nós, que tudo temos, somos ainda tão mesquinhos?

Não posso deixar de pensar que essas crianças têm a minha idade e que o lugar onde nascemos faz uma grande diferença. Eu poderia ser uma daquelas crianças que vivem nas favelas do Rio. Eu poderia ser uma criança faminta da Somália, ou uma vítima da guerra no Oriente Médio; ou, ainda, uma mendiga na Índia.

Sou apenas uma criança; mas, ainda assim, sei que se todo o dinheiro gasto nas guerras fosse utilizado para acabar com a pobreza, para achar soluções para os problemas ambientais, que lugar maravilhoso a Terra seria!

Na escola, desde o jardim da infância, vocês nos ensinaram a sermos bem-comportados. Vocês nos ensinaram a não brigar com as outras crianças, a resolver as coisas da melhor maneira, a respeitar os outros, a arrumar nossas bagunças, a não maltratar outras criaturas, a dividir e a não sermos mesquinhos. Então por que vocês fazem justamente o que nos ensinaram a não fazer?

Não esqueçam o motivo de estarem assistindo a estas conferências e para quem vocês estão fazendo isso. Vejam-nos como seus próprios filhos. Vocês estão decidindo em que tipo de mundo nós iremos crescer. Os pais devem ser capazes de confortar seus filhos dizendo-lhes: “Tudo vai ficar bem, estamos fazendo o melhor que podemos, não é o fim do mundo”. Mas, não acredito que possam nos dizer isso. Nós estamos em suas listas de prioridades?

Meu pai sempre diz: “Você é aquilo que faz, não o que você diz”. Bem… O que vocês fazem, nos faz chorar à noite.

Vocês, adultos, dizem que nos amam… Eu desafio vocês: por favor, façam com que suas ações reflitam as suas palavras.

Obrigada!”

Message of the Humming-bird - English

Once upon a time a fire started in the forest …
Nobody knew how, why, or who was the responsible, the fact is that the fire
was spreading with such speed and power that became uncontrollable.
Frightful was its fury. In the distance, it was seen the terrible red black cloud advancing overwhelmingly over the trees, and heard the agonizing noises from the green sparkling in the impious flames burning the forest.
Even worse was the outcry of the animals, pushing themselves and running without direction, disturbed before the apocalyptical spectacle they were testifying:
“Save your selves! It is the fire, it is the end, we are lost”
Even more furious they were, in the middle of this chaos, when they saw the Humming bird. The little bird flied quickly until the river, harvested a little drop of water in its peak, and went to drip it on that immense fire. One after other, without stopping…
One of the animals screamed:
“ Small dull bird! You think that this little drop can extinguish the fire? Are you so stupid? Fly away, with these wings that you have! Save yourself! It is the end! “
Softly, the humble bird answered:
“I am doing my part! If each one of us, brothers and sisters, goes to the river, and harvest a little of water, we will stop the fire and save our home.”

Kolibriens Beskjed - Norsk

Det oppsto en brann i skogen… Ingen visste hvor eller hvem som hadde startet den, men den spredde seg med så stor fart og styrke at den kom fullstendig ut av kontroll.
Dens raseri var skremmende, og den slukte alt som kom I dens vei. Knitringen av brennende trær var uhyggelig, men ingenting var verre enn ropene til dyrene I skogen. De løp rundt I full forvirring og skrek I dødsangst: ”Redd deg selv! Dette er slutten!” Midt I dette kaoset var en av skogens aller minste fugler, kolibrien, et merkelig unntak der han fløy målbevisst og effektiv. I løpet av kort tid var den nede ved elven for å fylle vann I nebbet, hvorpå han så returnerte for å helle det over flammene. Når de andre dyrene så dette, skrek de til han: ”Din dumme lille fugl, tror du at den lille dråpen med vann kan slokke brannen? Er du så idiot? Bruk vingene til å redde deg selv, dette er slutten. Kolibrien, svarte dem: Mine brødre og søstre, jeg gjør min del. Dersom dere alle blir med og alle henter vann I elven, kan vi stoppe flammene og redde hjemmet vårt.

Mensagem do Beija-flor - Português

Aconteceu que começou um incêndio na floresta…
Ninguém sabia como, porque ou quem era o responsável, o fato é que o fogo foi alastrando-se com tal velocidade e potência que tornou-se incontrolável.
Assustadora era sua fúria. Na distância, via-se a terrível nuvem rubra e negra avançando avassaladoramente sobre as matas, ouvia-se os agonizantes ruídos do verde crepitando nas impiedosas chamas que abrasavam a floresta. Ainda mais disturbar era o clamor dos animais, empurrando-se e até agredindo-se, descontrolados diante o apocalíptico espetáculo que testemunhavam:

” Salve-se quem puder!!! É o fogo, é o fim, estamos perdidos !!!”

Ainda mais irados ficavam, em meio a este caos, quando viam o Beija-flor. O pequeno pássaro voava ligero até o rio, colhia uma gotinha de água em seu biquinho, e ia pingá-la sobre aquele imenso fogaréu. Uma após outra, sem parar…
Até que, incontido, um dos bichos bradou:

”Seu pequeno pássaro estúpido! Você acha que essa gotinha vai apagar o fogo? Será que é tão imbecil? Voa embora, com essas asas que você tem! Salve-se! É o fim!!!”

Suavemente, o humilde pássaro respondeu:

”Eu estou fazendo a minha parte! Se cada um de nós, irmãos, irmãs, formos até o rio, e colhermos um pouco de água, vamos apagar o fogo e salvar nosso lar.”

gayatriyantra.jpg

OM BHUR BHUVAH SVAH

TAT SAVITUR VARENYAM

BHARGO DEVASYA DHIMAHI

DHIYO YONAH PRACHODAYAT

One possible translations is “ May be peace on the three worlds; terrestrial, astral and celestial, may we meditate on the splendour from the Divine Sun that illuminates us. May all golden light furthers our understanding and guide us on our journey towards the sacred home.
May all beings perceive with subtle intellect the magnificent brilliance of enlightened awareness.”

The Gayatri Mantra is one of the keynotes to the transformation of consciousness and is an identical vibration to the vital force in nature. It is one of the oldest prayers known to humanity, being as ancient as light and also the vital force itself. This prayer appeals to the highest wisdom; to the brilliance of the cosmos to illumine an understanding of our true nature. The appeal requests that we become subtle and receptive to the divine wisdom that pervades the experience of life and is the essence of our very Self.
To chant the Gayatri Mantra purifies the chanter. To listen to the Gayatri Mantra purifies the listener it is said that this sacred prayer spirals through the entire universe from the heart of the chanter, appealing for peace and divine wisdom for all.

sunsetmoonlight2.jpg


Desiderata

Go placidly amid the noise and haste, and remember what peace there may be in silence.
As far as possible without surrender, be on good terms with all persons.
Speak your truth quietly and clearly;
and listen to others, even the dull and the ignorant; they too have their story.
Avoid loud and aggressive persons; they are vexations to the spirit.
If you compare yourself with others, you may become vain and bitter; for always there will be greater and lesser persons than yourself.
Enjoy your achievements as well as your plans.
Keep interested in your own career, however humble; it is a real possession in the changing fortunes of time.
Exercise caution in your business affairs; for the world is full of trickery. But let this not blind you to what virtue there is;
many persons strive for high ideals; and everywhere life is full of heroism.
Be yourself. Especially, do not feign affection. Neither be cynical about love; for in the face of all aridity and disenchantment it is as perennial as the grass.
Take kindly the counsel of the years, gracefully surrendering the things of youth.
Nurture strength of spirit to shield you in sudden misfortune. But do not distress yourself with dark imaginings. Many fears are born of fatigue and loneliness. Beyond a wholesome discipline, be gentle with yourself.
You are a child of the universe, no less than the trees and the stars; you have a right to be here. And whether or not it is clear to you, no doubt the universe is unfolding as it should.
Therefore be at peace with God, whatever you conceive Him to be, and whatever your labours and aspirations, in the noisy confusion of life keep peace with your soul.
With all its sham, drudgery, and broken dreams, it is still a beautiful world.
Be cheerful. Strive to be happy.

Max Ehrmann, Desiderata